• Home
  • Blog
  • Entenda aqui como funciona o sistema educacional americano!

Entenda aqui como funciona o sistema educacional americano!

Entenda aqui como funciona o sistema educacional americano!

Entenda aqui como funciona o sistema educacional americano!

Você está com tudo pronto para imigrar para os Estados Unidos, mas ainda tem dúvidas sobre como será a rotina escolar dos seus filhos? De fato, o sistema educacional americano tem algumas diferenças em relação ao que os brasileiros estão acostumados. Mas não é preciso se preocupar: as crianças costumam se adaptar muito rapidamente às mudanças.

A primeira diferença que você notará é com relação à qualidade da educação, que é superior a da maioria das escolas públicas brasileiras. As crianças sentirão uma exigência maior, mesmo nas escolas públicas, além de terem mais atividades, como incentivo ao esporte e à cultura.

Entender como funciona o sistema nos EUA possibilitará que você faça um planejamento educacional para seus filhos, que os levará, certamente, às melhores universidades do mundo no futuro.

Então, neste artigo, explicarei como é a educação nos Estados Unidos, além de falar um pouco sobre o calendário anual, que é diferente do brasileiro, entre outras informações. Confira!

Como funciona o sistema educacional americano?

Nos Estados Unidos, assim como no Brasil, a presença na escola só é obrigatória a partir dos 6 anos de idade. Mas antes disso, as crianças podem frequentar a pré-escola, chamada de Pre-K.

Na maioria dos casos, a vida escolar de crianças e jovens nos EUA dura 12 anos consecutivos, ou seja, eles saem da escola com pelo menos 16 anos de idade. Mas alguns Estados exigem que os estudantes cumpram a educação formal até os 18 anos.

Durante seus seis primeiros anos na escola, as crianças têm um professor para todas as disciplinas. Depois, passarão a ter um professor diferente para cada matéria, até saírem do Ensino Médio.

Os alunos têm 7 horas de aula por dia com uma hora de almoço. Além disso, há disciplinas obrigatórias e optativas. Ou seja, seu filho pode escolher estudar aquilo que tem mais aptidão entre as disciplinas disponíveis. Há esportes, artes, música, idiomas e várias outras opções.

Como são as características de cada nível escolar?

Cada um dos níveis escolares nos EUA tem características específicas e que as diferem uns dos outros. Veja a seguir quais são elas.

Pré-escola (Pre-K ou Pre-School)

Na maioria dos Estados, como mencionamos, ela é opcional para crianças de 3 a 5 anos de idade. Elas podem ser operadas por organizações comunitárias, empresas privadas e, até mesmo, por prestadores de serviços de cuidados infantis independentes.

Muitas delas têm focos específicos, como o ensino de línguas, ou um programa geral de educação infantil. A inscrição é feita diretamente na escola escolhida.

Ensino Fundamental (Elementary ou Primary School)

Obrigatória a partir dos 6 anos para todas as crianças nos Estados Unidos, a escola complementar dura cinco ou seis anos, dependendo de como é a estrutura do sistema educacional no Estado onde a pessoa vive.

O currículo é bastante amplo, abrangendo as disciplinas básicas, além da educação física e idiomas, que variam conforme a escola. Por esse motivo, algumas famílias escolhem uma instituição em vez de outra para que os filhos possam ter contato com determinadas atividades e idiomas.

Ensino Médio (Middle School ou Junior High)

Os Estados atuam de forma diferente com as crianças que saem da escola primária. Em alguns lugares, a opção é pelo Middle School e outros têm o chamado Junior High, que começa um ano depois do Middle School tradicional. Em resumo, o Middle School começa quando os alunos têm 11 anos e o Junior High com 12. Nos dois casos, os estudantes permanecem três anos nesse nível.

O Ensino Médio também é gratuito e oferece aos alunos algumas disciplinas eletivas, além das obrigatórias. Nesse estágio, o currículo pode abranger matemática, ciências, inglês, estudos sociais e artes.

Ensino Secundário (High School ou Senior High School)

Essa é a última etapa do sistema educacional americano, quando os estudantes têm entre 14 e 18 anos de idade. Nessa fase, as principais disciplinas são obrigatórias para todos os estudantes, mas também há algumas que podem ser escolhidas pelos alunos, de acordo com seu interesse.

Essa escolha das disciplinas no High School já começa a ter relação com o Ensino Superior, já que determinadas atividades são mais bem vistas pelas universidades. As turmas são pequenas, o que facilita a participação de todos os alunos nas aulas.

Outra diferença é que existem turmas para estudantes com mais e menos dificuldade e ele pode mudar de uma para outra conforme o desempenho.

Quando termina essa fase, após o 12º ano, o estudante recebe o certificado, podendo ir para a universidade. No High School o aluno é instigado muito mais a conhecer diferentes áreas de trabalho, por meio de viagens e atividades extracurriculares, por exemplo.

Como escolher uma escola?

Você já percebeu que a estrutura do ensino americano é mais complexa que a brasileira. Porém, nem todas as escolas são iguais e nem apresentam a mesma qualidade. As escolas públicas são distritais, o que significa que cada bairro conta com uma ou mais instituições para as pessoas que moram naquela região. Não é possível estudar em um lugar e morar em outro.

Ainda, com relação às escolas públicas, há um ranking feito pelo Governo Federal e pelos Estados que classifica a qualidade das escolas. Você pode conferir neste link. Essa pontuação é dada de acordo com o desempenho dos estudantes e quanto maior a nota, mais recursos a escola tende a receber, tanto do governo, quanto de outras instituições não governamentais.

Além disso, o imposto dos moradores daquele distrito também mantém as instituições de ensino públicas. É por esse motivo que as escolas de bairros melhores também têm mais qualidade, pois os habitantes daquela região têm casas maiores e pagam mais impostos. Portanto, é comum as famílias escolherem onde morar com base na escola, e não ao contrário como fazemos no Brasil.

Já as instituições particulares também merecem destaque, embora tenham um custo que pode se assemelhar ao de uma universidade. Os pais podem escolher uma escola paga por conta da qualidade (visando aprovação em universidade), por morar numa região que não tem uma boa escola ou ainda por desejar um ensino diferenciado, como o religioso, multicultural, entre outros.

Provas e testes seletivos podem ser requisitados para novos alunos ingressarem em instituições particulares renomadas. Já nas públicas, é preciso apenas que você more no distrito correspondente.

Quais são as opções de Ensino Superior nos EUA?

Os Estados Unidos têm instituições de Ensino Superior públicas e privadas, além das faculdades comunitárias. Entenda todos os modelos de ensino superior nos EUA:

  • universidades e faculdades estaduais: é o ensino superior público dos EUA, são administradas pelo governo, com mensalidades mais baixas para os residentes no estado, havendo pelo menos uma em cada Estado americano;
  • universidades ou faculdades particulares: são instituições privadas, com ensino considerado superior ao das governamentais e contam com pós-graduação, mestrado e doutorado;
  • faculdades comunitárias: são instituições menores com cursos que preparam os estudantes para uma atuação direta no mercado de trabalho, mas elas também contam com bacharelados;
  • institutos de tecnologia: oferecem pelo menos quatro anos de estudos em ciências e tecnologia, podendo ter programas de pós-graduação.

Importante frisar que College e University são sinônimos. College é o equivalente as faculdades brasileiras: contam com menos cursos e nem sempre tem pós-graduações, mestrados e doutorados.

No entanto, é comum ver americanos falando que fizeram o College e depois a University. Acontece que, além da graduação que oferece o grau de bacharelado, há um grau de ensino superior chamado de Associate Degree. Ele é concedido com dois anos de estudos em uma faculdade ou universidade e, geralmente, é parte de um curso de bacharelado.

Então, por College, os americanos se referem aos primeiros anos da faculdade e University pode ser tanto o bacharelado mesmo, quanto à pós-graduação profissional necessária para alguns cursos. E eles chamam assim porque é bastante comum estudar os primeiros dois anos em uma faculdade menor e mais barata e finalizar o bacharelado na universidade.

Como ingressar no Ensino Superior nos EUA?

O Ensino Superior americano é composto pelo Undergraduate e pelo Graduate. O primeiro é o que conhecemos por bacharelado, com duração de quatro anos e após a finalização, você sai com um diploma de graduação.

Os primeiros dois anos do undergraduate são compostos por disciplinas mais gerais e o aluno pode fazer aulas de várias assuntos. Fazendo determinadas disciplinas, o aluno consegue o diploma de Associate Degree no fim do segundo ano de estudos.

Para conseguir o bacharelado, a partir do terceiro ano você precisa já ter um curso definido, o seu major, e cumprir a carga horária específica.

Já o graduate é uma pós-graduação que abrange tanto a especialização, quanto o mestrado e doutorado. Ele é obrigatório se você quer atuar em algumas áreas, como medicina, direito, medicina veterinária, odontologia, entre outras. Então, você terá que fazer um undergraduate e depois o graduate, que costuma durar mais 2 ou 4 anos.

Para ingressar tanto no undergraduate, quanto no graduateavaliações específicas que variam conforme a instituição. Em geral, é analisado o histórico escolar do aluno e feito testes e avaliações.

Como é a vida escolar nos EUA?

Se você pretende matricular seus filhos ainda neste ano, é bom saber como funciona o calendário escolar. O ano letivo começa em agosto ou setembro, durante o outono, terminando em maio ou junho. É sempre recomendável que as crianças entrem na escola já nesse início, quando começam as amizades que poderão seguir por toda a vida deles na escola.

As escolas costumam dividir esse calendário em trimestres, diferentemente das faculdades, que são semestrais. O dia escolar no Ensino Fundamental funciona entre as 8h30 e as 15h30, tendo pausa para o almoço.

Já as escolas secundárias têm horário das 7h30 às 14h30, apresentando seis aulas de uma hora ou quatro aulas de 90 minutos. O intervalo de almoço é de meia hora. Atividades extracurriculares ou esportivas ocorrem fora desse período escolar e não há aulas nos finais de semana.

Quais os custos das escolas e universidades?

Quem pretende morar nos EUA precisa ter em mente quais são os custos envolvidos nessa mudança, incluindo aqueles relacionados à educação dos seus filhos.

Como dissemos, as escolas públicas são gratuitas, financiadas pelos impostos pagos. Podem existir custos adicionais relacionados à compra de uniformes, materiais escolares e transporte, caso a escola fique longe de casa. Importante lembrar de fazer uma boa pesquisa, já que as escolas recebem uma nota de acordo com o desempenho dos alunos e dos professores.

Se você preferir colocar seus filhos em escolas pagas, os custos podem ser altos, chegando a uma média de US$10 mil a US$20 mil por ano, dependendo do lugar e do currículo oferecido. Lembrando que, para os residentes legais, as opções de bolsa e financiamento são bem mais fáceis. Geralmente, as famílias americanas colocam seus filhos em escolas públicas e economizam dinheiro para a faculdade.

Diferente do Brasil estudar em escola pública não é demérito nenhum, pelo contrário, é muito valorizado. Tão valorizado que, inclusive, impacta a valorização das casas nas regiões onde existem escolas públicas com notas altas.

Como você pôde ver, o sistema educacional americano é um pouco mais complexo, mas oferece para sua família a oportunidade de estar nas melhores instituições de ensino, reconhecidas mundialmente. Dar às crianças a possibilidade de estudar nos EUA é uma garantia a mais de um futuro próspero e com muito mais oportunidades.

Gostou das informações sobre o sistema educacional americano? Quer ficar por dentro de tudo o que envolve a vida nos Estados Unidos? Então assine a nossa newsletter e receba direto no seu e-mail mais informações sobre imigração para os Estados Unidos.