5 dicas realmente úteis para se adaptar à nova vida nos EUA

5 dicas realmente úteis para se adaptar à nova vida nos EUA

5 dicas realmente úteis para se adaptar à nova vida nos EUA

Diversos motivos levam os brasileiros a desejar construir uma vida nos EUA, mas a adaptação no novo país pode ser um desafio. Você terá que se acostumar com o novo idioma, a cultura, a comida e com a diferente estrutura e funcionamento do país. Se preparar para o que lhe aguarda é importante para passar pelo período de adaptação com mais tranquilidade.

Se você vai sozinho, com a família, filhos ou com amigos as dicas a seguir realmente ajudarão a todos. Confira!

1. Continue estudando inglês

Mesmo que você seja fluente em inglês é importante continuar estudando e se aprimorando quando chegar aos EUA. Existem expressões, modos de dizer, gírias e entonações que podem modificar o que se está dizendo e dificultar a sua comunicação.

Se não entender, peça de forma educada e eles repetirão o que for preciso. Saber bem a língua é fundamental para se relacionar, fazer negócios e se sentir melhor no país.

2. Compreenda o jeito do americano

O americano, em geral, é menos caloroso. Evite abraços, priorize o aperto de mão e cuidado com as piadas com quem acabou de conhecer. Eles são pessoas de palavra, pontuais e valorizam a honestidade. A regra é: aja com respeito e quando sentir uma grosseria, pense se não é apenas a cultura da pessoa.

No entanto, isso muda conforme a região. No interior e no Oeste as pessoas são um pouco mais simpáticas e cuidadosas do que no Leste. Até os próprios americanos admitem isso. Em Nova Iorque você será recebido com frases curtas e diretas, enquanto que na Califórnia e na Florida há mais sorrisos e gírias, como o “Hey, what’s up?”.

O americano respeita bastante o espaço do outro, mas não significa que eles não queiram sua amizade. O que acontece é que eles não criam aquela intimidade rápida, mas conversam, são curiosos sobre o Brasil e, se a amizade der certo, serão excelentes companhias ajudando-o quando necessário.

3. Entenda os hábitos alimentares

Se você acha que só encontrará fast-food de hambúrguer e pizza nos Estados Unidos e que terá que se acostumar com isso está muito enganado. Existe uma infinidade de lanchonetes de comida saudável, restaurantes de diferentes tipos e muita coisa com ótimos preços. Se for atendido por um garçom, não esqueça da gorjeta.

O americano não tem costume de fazer comida em casa, mas você encontrará tudo que precisa para cozinhar no supermercado. Há verduras, frutas, legumes, temperos, praticamente tudo como no Brasil. Eles tomam um café da manhã reforçado e pulam o almoço na maioria das vezes. Então, os jantares começam cedo. Não estranhe se for convidado para um “dinner” às 18 h.

4. Faça um seguro de saúde

Nos Estados Unidos o acesso a saúde é mais restrito do que no Brasil. Existem programas públicos para uma parcela da população, mas o restante das pessoas precisam contratar um plano de saúde. Para facilitar, o governo barateia o acesso a esses planos por meio do Obamacare e Trumpcare.

De qualquer forma, nenhum hospital lhe negará atendimento, mas uma hora a conta chegará e bem alta. Portanto, para sua nova vida nos EUA o plano ou seguro de saúde é tão importante quanto ter um trabalho. Sabe aquelas histórias dos filmes que uma família vai à falência por conta de problemas de saúde de um dos membros? Acontece mesmo!

O assunto é importante e você pode conferir mais detalhes no nosso post sobre funcionamento do sistema de saúde no EUA.

5. Ajude as crianças a se acostumarem com a vida nos EUA

As crianças aprendem o idioma bem mais rápido do que os adultos, mas nos primeiros meses pode ser um desafio para elas na nova vida nos EUA. Então, pesquise sobre as escolas, pois algumas estão acostumadas a receber estrangeiros e fazer a integração das crianças, inclusive com professores bilíngues.

Existem cursos gratuitos de inglês e atividades extracurriculares que ajudam no entrosamento e aprendizado da língua. Participe ativamente desse processo e sempre explique para elas que o diferente não é ruim.

São muitas novidades, mas o essencial para se adaptar à vida nos EUA é ter a mente aberta. Tudo bem frequentar a comunidade brasileira, mas experimente eventos americanos, procure entender melhor a cultura e funcionamento do seu novo país e aceite o diferente.

Essas dicas foram úteis para você compreender um pouco mais sobre a vida nos EUA? Confira então nosso texto com alguns pontos importantes sobre recomeçar a vida no país norte-americano.