• Home
  • Blog
  • Sem erros: como imigrar para os EUA em 2020 legalmente?

Sem erros: como imigrar para os EUA em 2020 legalmente?

Sem erros: como imigrar para os EUA em 2020 legalmente?

Sem erros: como imigrar para os EUA em 2020 legalmente?

Muitos querem sair do Brasil devido à crise econômica, ao aumento dos índices de criminalidade ou à falta de oportunidades. Outros desejam apenas ter uma vida mais tranquila para a família, que proporcione melhores empregos, educação de excelência ou para adquirir uma nova cultura. Nos Estados Unidos, é possível reunir tudo isso.

Mas você sabe como imigrar para os EUA legalmente? Esse é o caminho para realizar esse sonho e oferecer uma vida melhor para você e sua família! Neste artigo, mostrarei quais são os passos para que você conquiste isso, desvendando o processo legal para imigrar para o país. Confira!

Entenda como funciona o processo legal de imigração para os EUA

Antes de começar a fazer as malas, é preciso entender que há algumas formas diferentes de conseguir imigrar para os Estados Unidos legalmente. E que morar no país sem ter a documentação exigida pelo governo americano não é recomendável. Não apenas pelas complicações que pode gerar para você e seus familiares com o governo local, mas também, por isso dificultar a regularização posteriormente.

Portanto, é bom fazer um planejamento prévio e descobrir quais são os caminhos mais seguros para você e sua família morarem em algumas das melhores cidades para imigrantes nos EUA.

Ser um especialista

Uma das formas mais interessantes de se tornar um imigrante legal nos Estados Unidos é atuar em profissões que têm maior demanda no país, ou seja, ter alguma habilidade específica cuja mão de obra seja escassa nos EUA.

Ter um emprego

A entrada no país por meio do trabalho também ocorre se você atua em uma multinacional que peça a sua transferência para a sede ou matriz em uma cidade americana, ou se uma empresa de lá precisar da contratação dos seus serviços, solicitando o seu visto para o serviço de imigração americano.

Estudar

Outra maneira é entrar como estudante, em que você pode começar fazendo um curso de idiomas e depois ser transferido para uma universidade. Também valem, nesse caso, os cursos de especialização, mestrado, doutorado ou MBA. Assim, além de estudar, você poderá trabalhar nos EUA legalmente.

Investir

Se você tem como investir capital nos Estados Unidos, essa é outra forma de imigrar legalmente. Mas saiba que você deverá ter, no mínimo, US$500 mil, para investir em uma empresa em cidades onde a taxa de desemprego é maior, ou US$1 milhão para abrir uma empresa em regiões metropolitanas. Além disso, deverá contratar pelo menos dez americanos.

Casar-se com um americano

Por fim, entre as formas mais conhecidas de imigrar para os EUA legalmente está o casamento com um cidadão americano.

Em todos os casos, será necessário obter visto para entrada no país, além de reunir toda a documentação exigida, dependendo de cada caso (cujas informações mais precisas e atualizadas estarão no site da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil).

Sempre vale a pena, também, contratar algum serviço de consultoria, para que não haja erros no processo que possam impedir a sua mudança.

Saiba quais são os tipos de vistos para entrada no país

Como mencionamos, há uma série de formas de imigrar para os EUA e diferentes tipos de vistos que podem ser concedidos pelo governo americano. Vamos citar os principais deles, envolvendo os mais comuns, para trabalho e para estudos. Confira!

Vistos de trabalho

Os tipos mais comuns concedidos para brasileiros que desejam imigrar para os Estados Unidos são o H1-B e o L-1.

O primeiro vale para aquelas pessoas que chegarão aos EUA já contratados por uma empresa americana, que vai patrocinar esse visto ao estrangeiro. Isso significa que seu planejamento deve começar ainda no Brasil, quando você fará o contato com a empresa onde pretende trabalhar.

Nesse caso, a companhia inicia o processo de retirada do seu visto, comprovando que as suas qualificações são especiais e que não encontrou no país alguém que possa realizar a sua função de forma adequada. Você deve, portanto, ter uma graduação ou uma experiência relevante no segmento em que vai atuar.

Esse visto tem prazo de duração de três anos e pode ser renovado por mais três. A vantagem é que, posteriormente existe a possibilidade de o empregador entrar com um processo para a obtenção do tão sonhado Green Card.

Caso você trabalhe em uma empresa americana com escritório no Brasil, por exemplo, e seja transferido para a sede nos Estados Unidos, poderá requerer o visto L1, destinado a esse tipo de transferência. Esse é um dos casos mais comuns de imigração legal para os Estados Unidos quando se trata de trabalho.

O contrário também vale: empresas brasileiras que abrem filiais nos EUA podem mandar seus colaboradores para atuar no país. Para isso, você deve ter trabalhado por, pelo menos, um ano na empresa ocupando um cargo de diretor, gerente ou sendo sócio, dentro dos três anos anteriores.

Para quem não quer depender de empregador, tem as opções dos vistos EB-1 e EB-2, cada um específico para um tipo de profissional. Por exemplo, o EB-1A serve para pessoas com habilidades extraordinárias. Para obtê-lo, o estrangeiro deve comprovar suas contribuições e/ou conhecimento, principalmente, através de suas experiências.

O EB-1B é válido para professores e pesquisadores e o EB-1C, para empresários e executivos. Nos dois últimos casos, se houver uma contratação, isto é, uma oferta de trabalho no processo, este segue bem mais rapidamente.

O EB-2 vale para profissionais que possuem mais de dez anos de experiência em sua área de atuação, independente do segmento. Além disso, eles também precisam comprovar que seu conhecimento pode agregar à cultura, educação ou economia americana.

O processo para tirar esses vistos dura cerca de dois anos, é dividido em três fases e custa aproximadamente US$1200 (ou seja, quase R$5 mil reais). O primeiro passo é um dossiê com as comprovações de mérito ao USCIS – United States Citizenship and Immigration Services (Serviço de Cidadania e Imigração dos Estados Unidos).

Depois, outro órgão, o National Visa Center, dará continuidade ao processo, solicitando mais dados pessoais, antecedentes criminais e uma avaliação física. Por fim, haverá uma entrevista no consulado americano.

Se no Brasil, você faz parte de conselhos regionais, tem o hábito de participar de congressos da área e até ganhar prêmios, esses vistos não só são os melhores para você, como é mais fácil ser aprovado para conseguir um deles. Lembre-se de, antes de iniciar o processo, compilar os documentos necessários e se preparar para cada fase.

Outras opções de visto são o H-2A e o H-2B. O primeiro serve para pessoas de países latino-americanos, como Brasil e Colômbia, que querem ir para os Estados Unidos, trabalhar no setor agrícola temporariamente. O segundo é parecido, com a diferença que atende qualquer profissional com emprego temporário, não necessariamente no ramo agrícola.

Vistos para estudos

Se você deseja saber como imigrar para os EUA sendo um estudante, deve buscar uma das opções que mais se enquadra em seu perfil. Pode ser o F1, para os estudantes acadêmicos ou vocacionais, ou o J, para aqueles em intercâmbio.

Também tem o H-3B, que atende a estudantes que viajam para os EUA para participar de programas acadêmicos e são trainees em alguma empresa. Já o H-1B é um dos vistos mais comuns e se aplica quando o profissional é contratado por uma empresa que o ajuda a viabilizar o documento para oficializar sua permanência em solo americano.

Com o visto de estudante, você poderá trabalhar apenas se for contratado pela instituição de ensino onde está matriculado, não excedendo as 20 horas semanais. Os universitários podem buscar empregos temporários com o Optical Practical Training (OPT), ao fim do curso, que funciona como um tipo de estágio.

Esse é um dos passos importantes para quem deseja, depois, obter o H1-B e os EBs, para viver e trabalhar por mais tempo no país, e posteriormente pedir o Green Card.

Escolas e universidades nos Estados Unidos concedem alguns tipos de bolsas para estrangeiros, que podem ajudar muito durante o período de estudos nos EUA.

Descubra que erros você não pode cometer ao imigrar para os EUA

Um dos erros comuns às pessoas que desejam imigrar para os Estados Unidos é não procurar informações provenientes de uma fonte segura e confiável. Infelizmente, quando o tema é imigração, todo mundo tem um amigo dando um palpite ou solução que ouviu falar.

Outro “detalhe” que costumam esquecer é o tamanho dessa mudança, literalmente. Mudar-se para outro país exige um planejamento bem-feito, principalmente financeiro. E o fato de esse outro lugar ter uma economia cuja moeda vale, em média, quatro vezes mais que a do seu país natal é mais uma razão para se organizar com antecedência.

Além disso, o idioma também é um fator determinante, não só para se estabelecer e se adaptar, mas para se relacionar no âmbito profissional. Não dá para adiar o aprendizado do inglês se você pretende se mudar para os EUA. Pelo contrário, agilize e motive todos que vão à viagem! Até porque esse conhecimento é fundamental para se sair bem nos testes de proficiência.

É preciso entender que existem várias opções de visto e cada indivíduo pode se qualificar para um específico, enquanto para outro, aparentemente, com background parecido, a opção mais viável é, claramente, um visto diverso.

Conhecer todas as formas possíveis sobre como imigrar para os EUA é um passo importante para quem está planejando uma mudança de vida para si mesmo e para a família. Mas certamente vale a pena se você está em busca de uma vida mais segura, tranquila e com ótimas oportunidades.

Pensando em quem pretende morar nos EUA legalmente, mas ainda está com dúvidas sobre como começar a viver o sonho americano, a gente resolveu ajudar você nessa missão! Preparamos um e-book com todas as informações e dicas necessárias para facilitar ao máximo esse processo! Baixe-o e aproveite!