• Home
  • Blog
  • 5 dicas para não ser barrado na alfândega de imigração nos EUA [2020]

5 dicas para não ser barrado na alfândega de imigração nos EUA [2020]

5 dicas para não ser barrado na alfândega de imigração nos EUA [2020]

5 dicas para não ser barrado na alfândega de imigração nos EUA [2020]

Você sabe quais são as perguntas feitas na imigração nos EUA? Caso a sua resposta tenha sido negativa, tenha em mente que quem tem o sonho de viajar ou morar nos Estados Unidos deve se informar a respeito desse assunto. Desse modo, fica mais fácil ter uma viagem tranquila e sem riscos de não ter a sua entrada permitida no país.

Assim, para viajar com tranquilidade, o ideal é realizar todos os preparos necessários com antecedência, como não deixar para tirar o visto em cima da hora, ter impressos papéis que comprovem a reserva de hospedagem durante o tempo que você ficará no país, contratar um seguro de saúde, entre outros. Consequentemente, a sua passagem na imigração será rápida e sem dores de cabeça.

Para evitar qualquer estresse, confira algumas dicas úteis e quais são as perguntas feitas na imigração americana para que você possa passar pela alfândega dos EUA sem problemas. Boa leitura!

1. Preencha o formulário corretamente

Ao desembarcar, você precisará preencher um formulário e direcionar-se para a alfândega de imigração a fim de responder a algumas perguntas. O formulário a ser preenchido é o CBP 6059B, que costuma ser entregue ainda dentro do avião para que você o preencha com calma e, depois, entregue-o para o oficial de imigração (CBP Officer) no aeroporto.

Hoje em dia, existem guichês automáticos em determinados aeroportos, o que dispensa o uso do formulário físico em alguns casos. Às vezes, o próprio oficial faz as perguntas necessárias diretamente a você. Ou seja, se você não receber nenhum formulário no avião ou não achar o guichê, não se preocupe.

A próxima etapa é a de responder às perguntas do agente de imigração, cujo objetivo é verificar as informações do seu visto, passaporte e formulário. Vale ressaltar, o seu visto pode ter validade de 10 anos, mas quando você entrar nos EUA, o que determinará o seu tempo legal de permanência é o seu status, que é estabelecido pelo oficial e, geralmente, tem o prazo de 6 meses. Ele pode ser verificado através do I-94.

Em alguns casos, o agente de imigração pode solicitar que você responda a perguntas adicionais em uma sala separada. O que preocupa muitas pessoas é que o policial tem autonomia para encaminhá-lo à deportação caso acredite que você está mentindo sobre as suas intenções nos Estados Unidos. Logo, é fundamental que você seja honesto e que tenha todos os documentos corretamente em mãos.

2. Esteja com o visto adequado para o seu caso

A primeira dica é tirar com antecedência o visto adequado para a sua situação. Para isso, é preciso levar em consideração o motivo de sua viagem. Ou seja, com isso, você poderá solicitar o visto certo para o que você pretende fazer legalmente nos Estados Unidos, seja trabalhar, seja estudar, seja visitar etc.

Por exemplo, se você estiver com uma permissão de turista, ao sair do desembarque, o agente da imigração pode perguntar: “What is your final destination?” (“Qual é o seu destino final?”). Assim, você deverá informar o roteiro de sua viagem.

É esperado que você saiba quais são os pontos turísticos que serão visitados durante a sua estadia ou que informe que você vai visitar alguém no país. Nesse último caso, o agente pode perguntar de onde você conhece a pessoa e se você tem o endereço de sua residência.

Portanto, diga que vai fazer apenas aquilo que seu visto permite. Isso vale para qualquer outro visto, como o de estudante, de trabalho ou de imigrante (aquele que vai lhe proporcionar a imigração nos EUA de forma permanente). Lembre-se ainda de que é fundamental responder com informações verídicas.

3. Responda às perguntas de maneira simples e direta

Há duas perguntas iniciais de extrema importância que precisam ser respondidas de forma direta:

  • What is the purpose of your visit?” (“Qual é o motivo da sua viagem?”);
  • “How long are you staying?” (“Quanto tempo você pretende ficar?“).

Nesse contexto, diga o porquê da sua viagem. Se for para estudar, por exemplo, mostre o seu visto e documentos que comprovem o seu vínculo com alguma instituição na área da educação. Com isso, diga quanto tempo você ficará para estudar legalmente no país.

Depois de responder a essas perguntas, o agente de imigração pode querer saber qual é a sua profissão. Para isso, ele perguntará: “What is your job?” (“Qual é a sua profissão?”).

Você deverá responder de forma clara e objetiva. Caso você tenha um emprego fixo no seu país de origem, ficará mais fácil entrar nos Estados Unidos sem despertar suspeitas de que você tenha algum interesse em se firmar por lá ilegalmente. Vale lembrar que há vistos específicos para quem vai trabalhar e que na condição de um visto de turista e de estudante, em regra, não é permitido o trabalho.

O segredo está em responder a tudo de maneira clara e direta, falar a verdade e não entrar em contradições. Se o agente perguntar mais de uma vez a mesma coisa, talvez esteja só testando se você está dizendo a verdade. Portanto, seja consistente em suas respostas.

4. Tenha documentos de comprovação

Documentos são a melhor forma de comprovar o que você está dizendo. Carregue tudo aquilo que ajude a explicar os motivos da sua entrada no país, o tempo que pretende ficar e os seus planos. Por exemplo, é comum que o agente pergunte: “Where will you be staying?” (“Onde você vai ficar?”).

Nesse caso, você deverá comprovar que tem um local para ficar, seja em um hotel, seja em um hostel, seja em uma pousada etc. Logo, é de extrema importância fazer uma reserva de hospedagem com antecedência para evitar problemas em cima da hora. Além disso, com esse cuidado, você ainda consegue preços mais acessíveis.

Após fazer a sua reserva corretamente, imprima essas informações e tenha-as em mãos na hora do desembarque caso alguém as solicite. É preciso que, nesses documentos, constem o endereço do local, o número para contato com o estabelecimento e o número de diárias que você ficará.

Caso você esteja entrando como estudante, tenha em mãos o comprovante da matrícula na instituição de ensino e o extrato bancário com os valores informados no formulário I-20 emitido pela escola.

Se estiver entrando como trabalhador, ter em mãos o contrato de trabalho é essencial. Já para os turistas, a dica é comprovar seus vínculos com o Brasil, como trabalho estável, e ter o seu extrato bancário (ou dinheiro em mãos) com valores suficientes para comprovar que você tem condições de realizar as viagens que pretende fazer e também de se alimentar durante todo o período de sua estadia.

5. Mantenha a calma em todo o processo

A dica mais importante é manter a calma. Entenda que o trabalho dos agentes de imigração consiste em fazer perguntas e procurar por pessoas que estejam mentindo. Se você estiver dizendo a verdade, não há por que ficar nervoso. 

Mesmo que você seja levado para outra sala para mais questionamentos, tente manter a tranquilidade e continuar respondendo às perguntas com seriedade e honestidade. E, caso o idioma seja um desafio, decore algumas frases que possam ser úteis tanto em inglês quanto em espanhol, pois os agentes costumam falar as duas línguas. Fale devagar e tente se fazer entender de alguma forma. 

Como você viu, falar a verdade e manter a calma é a chave para não ser barrado na alfândega de imigração nos EUA. Por isso, é importante se preparar adequadamente e se planejar com antecedência, seja para passear, seja para estudar, seja, até mesmo, para imigrar para o país. Existem várias formas de permanecer nos Estados Unidos de maneira legal e você deve sempre preferir esses caminhos.

Gostou de saber mais sobre quais são as perguntas feitas na imigração nos EUA? Caso tenha ficado com alguma dúvida, entre em contato com a gente. Estamos sempre prontos para ajudar da melhor maneira possível. Assim, conte conosco!