• Home
  • Blog
  • Conheça a história dos EUA e como os imigrantes fazem parte dela

Conheça a história dos EUA e como os imigrantes fazem parte dela

Conheça a história dos EUA e como os imigrantes fazem parte dela

Conheça a história dos EUA e como os imigrantes fazem parte dela

Já conhece a história dos EUA? Considerada a nação mais influente no mundo todo, o país também é um lugar repleto de oportunidades para os imigrantes. Logo, não é à toa muitas pessoas têm o american dream e o desejo de construir uma nova vida em solo norte-americano.

Buscar novas oportunidades de trabalho, ter a experiência de estudar fora, realizar um projeto da família ou encontrar melhores condições de vida é um sonho antigo. Por conta disso, pessoas de várias nacionalidades já se mudaram para a terra do Tio Sam e ajudaram a transformar os Estados Unidos em uma potência econômica mundial.

Esta é uma das características do país que é considerado pelos historiadores como uma espécie de “esponja gigante” de imigrantes vindos de todas as partes do mundo.  

Para descobrir mais sobre a história dos EUA e o papel dos imigrantes,  continue a leitura deste post!

Da colonização à independência dos EUA

Nos primórdios da história dos EUA, as terras norte-americanas eram habitadas pelos povos indígenas. O cenário começou a mudar com a chegada dos europeus, entre os séculos XVI e XVII, quando os ingleses deram início ao processo de colonização. Na época, foram criadas as Treze Colônias na faixa leste do país, formadas pelos Estados:

  • Virgínia;
  • New Hampshire;
  • Massachusetts;
  • Maryland;
  • Connecticut;
  • Rhode Island;
  • Carolina do Norte;
  • Nova York;
  • Nova Jersey;
  • Carolina do Sul;
  • Pensilvânia;
  • Delaware;
  • Geórgia.

O restante do país que hoje faz parte dos EUA eram colônias espanholas, francesas e holandesas que foram anexadas ao país posteriormente em disputas e acordos comerciais. 

Assim, o ponto de partida da colonização inglesa foi em 1607, com a criação da colônia de Virgínia. Mais tarde, foi a vez dos espanhóis chegarem ao continente americano, assim como franceses, holandeses e alemães. Esse movimento ocorria por conta da instabilidade dos territórios europeus, pobreza, guerras e reformas religiosas, que levou as pessoas a buscarem novas oportunidades no “Novo Mundo”.  

Em 4 de julho de 1776, os Estados Unidos decretaram independência, mas o reconhecimento veio somente em 1783 no Tratado de Paris. O documento formalizou a autonomia das colônias norte-americanas e, com o ideal de liberdade, serviu como marco para a primeira nação livre do continente. Esse foi o estopim para transformar os EUA na potência que é hoje.

Expansão e crescimento dos EUA

Depois da independência, muitos imigrantes foram atraídos pelo ideal de liberdade. Até então, os Estados Unidos eram uma nação que ocupava apenas a faixa leste litorânea, mas agora buscava crescer. 

Começou um movimento que se chamou de Marcha para o Oeste, que causou a expansão do território americano para o que conhecemos hoje. Isso se deu tanto pela grande quantidade de pessoas que chegavam ao Novo Mundo, quanto pela necessidade mercantil de novas terras. 

Assim, para incentivar a ocupação territorial, esses imigrantes que chegavam recebiam terras do governo em regiões mais ao oeste, como Flórida, Texas, Nevada e Arizona. Todos esses espaços foram conquistados aos poucos. A Flórida, por exemplo, era uma colônia espanhola e foi comprada pelos Estados Unidos. Já o Texas foi conquistado em uma guerra contra o México. 

Então, só nesse movimento, já é possível perceber que os imigrantes já faziam parte da história dos EUA. Pessoas de todas as partes do mundo começavam a se instalar no país, influenciados pela própria política de atração do governo americano. 

Mais tarde, a descoberta de ouro na Califórnia, em 1848 também contribuiu para atrair pessoas para a América do Norte. O Século XIX como um todo foi o período com os maiores movimentos migratórios da história dos EUA e do mundo todo, o que levou a eventos importantes.

 

O papel dos imigrantes nos EUA 

 

Com essa história de atração de imigrante em busca de novas oportunidades na terra do Tio Sam, é de se imaginar a importância deles para a economia, certo? Mas, com você já deve saber, nada disso aconteceu apenas durante o Século XIX. O país continuou e continua recebendo muitos imigrantes anualmente. 

De acordo com um relatório do Pew Research Center, a população dos EUA conta com 44,4 milhões de pessoas de outras nacionalidades. É o país com o maior volume de imigrantes no mundo inteiro, cerca de 13,6% da população norte-americana.

A chegada dos imigrantes não só acompanhou a evolução econômica do país, como também contribuiu para ela. Uma pesquisa realizada pela revista Fortune mostrou que 43% das maiores empresas americanas foram fundadas por imigrantes. 

Exemplos: um dos criadores do Google, o Sergey Brin, é Russo e mudou para os EUA quando tinha 6 anos. O inventor do telefone, Alexander Graham Bell, era escocês. Henry Ford, da Ford, era filho de pais irlandeses e belgas. E temos também a Tesla: você sabia que Elon Musk nasceu na África do Sul? Até mesmo o ex-presidente Barack Obama era filho de um imigrante queniano. 

A oportunidade para quem quer imigrar

Assim como eu, você já deve ter ouvido, muitas vezes, a palavra liberdade quando se fala nos Estados Unidos. Trata-se de um ideal, que foi impresso durante a independência há mais de 200 anos e é um dos motivos que justificam a atração dos imigrantes pelo país.

É claro que a convivência entre tantos povos não foi sempre pacífica e, ainda hoje, é motivo de debates políticos. Leis e regras imigratória mudam conforme o interesse político e econômico e será assim para sempre! De qualquer forma, os imigrantes foram e são essenciais para os Estados Unidos. 

Atualmente, oportunidades profissionais para quem é especialista em áreas específicas e universidades renomadas são os principais atrativos. Sem contar o custo de vida quando comparado ao de lugares como o Brasil, segurança para a família e educação de qualidade para os filhos. Esses são apenas alguns dos motivos que tornam o país tão convidativo.

Enfim, a história dos EUA é cheia de participações dos imigrantes. Essa ideia de “American Dream” é bem mais antiga do que parece, já que desde o século XVIII os europeus se mudavam para o país em busca de uma nova vida, mais oportunidades e tudo mais. 

Hoje, as maiores empresas americanas têm raízes nas histórias de imigrantes, o que comprova que aqueles que buscaram novas oportunidades realmente encontraram e agora possibilitam o sonho para muitas outras pessoas.   

O que achou de conhecer mais sobre o país das oportunidades? Compartilhe nas redes sociais com todos que têm o mesmo sonho.